A importância da educação financeira em tempos de crise - PizzattoLog

A importância da educação financeira em tempos de crise

A educação financeira é essencial para que possamos controlar nossas despesas e ainda fazer a reserva de emergência em momentos de crise.

Por isso compartilhamos uma cartilha com orientações para que nossos colaboradores e suas famílias possam definir seus objetivos financeiros, e com isso, ajudar nas tomadas de decisões em relação ao seu planejamento e auxiliar a superar este momento estamos vivendo.

Defina seu orçamento familiar

O primeiro passo para organizar sua vida financeira e conquistar mais qualidade de vida é definir e controlar todos os gastos, considerando sempre a renda mensal. Para isso, é indispensável elaborar o orçamento doméstico (anotando ou aplicando em uma planilha para seu controle). Analise seu orçamento financeiro. Reconhecer o orçamento como ferramenta para a compreensão dos próprios hábitos de consumo. Avaliar suas necessidades e desejos e como os efeitos de suas escolhas afetam a qualidade de vida no presente e no futuro. Compreender a relação cotidiana das pessoas do núcleo familiar e seu contexto habitual e os seus recursos financeiros e fazer escolhas cada vez mais conscientes. 

Analise seu orçamento

Entender as vantagens e as dificuldades de planejar o consumo. 

Compreender a importância do hábito de poupar como forma de melhorar e obter qualidade de vida. Se sobrar algum dinheiro depois de pagar todas as contas, calcular o transporte e a alimentação mensais, você pode utilizá-lo para comprar algo que já havia planejado à vista ou aplicá-lo numa conta poupança. Procure não ultrapassar seus gastos atuais e fique atento, pois você poderá ter problemas financeiros em caso de emergência. O ideal é formar uma reserva financeira para emergências, poupando de 5% a 10% das receitas, ou o valor que estiver disponível.

Dicas para controlar seu orçamento:

  • Anote todos os gastos e despesas diariamente; 
  • Evite emitir cheques pré-datados; 
  • Pague as contas em dia, evitando as multas e os juros; 
  • Evite fazer compras quando estiver estressado, cansado ou com fome; 
  • Gaste apenas o que ganha. Porém, nunca comprometa 100% da sua renda; 
  • Pesquise preços e faça as contas antes de comprar bens, principalmente os de alto valor, que podem desequilibrar seu orçamento a médio e longo prazo; 
  • Faça listas com todos os itens que precisa antes de comprá-los, seja no supermercado ou no shopping. Planeje, reflita e decida, afinal, é muito difícil ganhar dinheiro para gastar com produtos desnecessários.; 
  • Se possível, reserve 5% da sua renda para investir em VOCÊ.

Quando optar por operações de crédito

Adquirir crédito é uma solução para quitar débitos e resolver as emergências financeiras, mas também pode ser muito útil se contratado de forma consciente para antecipar os sonhos, como por exemplo: comprar eletrodomésticos, financiar um carro, reformar a casa etc. Ao decidir por uma operação de crédito, é indispensável analisar se o valor das parcelas é adequado ao seu orçamento mensal, além de ter a certeza de que essa opção lhe proporcionará mais tranquilidade. Entender as vantagens e as desvantagens do uso do crédito e a importância de fazer a escolha adequada entre as modalidades disponíveis, considerando o seu custo. Saber Identificar causas e consequências do endividamento excessivo e compreender as atitudes necessárias para sair dessa condição.

Dicas para usar o cartão de crédito

  • Evite pagar APENAS o valor mínimo do seu cartão – Apesar de o consumidor não ficar inadimplente, a diferença entre o valor total da fatura e o pagamento mínimo é financiada e, sobre esse montante, incidem juros enquanto o total não for pago.
  • Pior que pagar apenas o mínimo é pagar ATRASADO – Se as taxas de juros quando você entra no crédito rotativo já são absurdas, quando você paga atrasado, além de incorrer nas mesmas taxas, você acaba pagando multa de atraso. 
  • Ter vários cartões – Quanto mais cartões, mais dívidas, gastos desnecessários e, consequentemente, menos controle sobre as finanças. 
  • Usar o cartão como reserva de dinheiro – Algumas pessoas usam o cartão como uma fonte mágica de dinheiro.
  • Compras parceladas no cartão – Muitas lojas embutem juros nas parcelas sem avisar ao consumidor. Verifique se o lojista está assumindo os juros da operação e confirme a isenção de valores adicionais no ticket da compra.

Compreender a importância do planejamento financeiro para não CAIR NA CILADA da utilização do crédito como uma fonte de renda.

Como sair do vermelho?

  • A fórmula é simples: gastar menos, poupar mais, trocar as dívidas caras pelas mais baratas; 
  • É fundamental fazer um orçamento e segui-lo; 
  • Entender as vantagens e as dificuldades de planejar o consumo; 
  • Promover o consumo consciente com práticas sustentáveis, inclusive no que se refere ao uso e conservação do dinheiro. 
  • Conhecer as estratégias e as técnicas de vendas utilizadas pelos comerciantes para conquistar o consumidor, e as atitudes que podem ser adotadas pelo consumidor para evitar o consumo por impulso.

Como limpar seu nome

A inclusão do nome em cadastros negativos do SCPC (Serviço de Proteção ao Crédito), mais conhecido como SPC, ou da Serasa (Centralização de Serviços de Bancos), dificulta efetuar crediários, solicitar cartões de crédito, financiar automóveis e até emitir cheques. Se você está nessa situação, o ideal é fazer um esforço para regularizar imediatamente.

Procure a instituição ou empresa credora e peça alternativas para negociação da dívida, com desconto à vista ou de forma parcelada. Caso a proposta da instituição não atenda às suas necessidades, faça uma contraproposta dentro do seu orçamento, desde que você possa honrar sem atrasos. Após a renegociação, a instituição ou empresa credora enviará comando específico para a Serasa executar a baixa da anotação. 

Consumo planejado e consciente

Cabe a cada um manter o controle da viabilidade de seus projetos. As etapas são momentos intermediários no percurso da caminhada e servem para verificar o percurso que você tem caminhado e, caso necessário, reavaliar e direcionar melhor o seu projeto em busca da realização do seu sonho.

Conhecer e respeitar princípios como: não gastar mais do que se ganha; poupar no ato do recebimento; constituir reservas; evitar dívidas; diversificar investimentos; manter controle sobre receitas e despesas, são regras importantes.

Algumas pessoas ganham pouco, mas mesmo assim conseguem fazer poupança e acumular dinheiro. Outras, embora ganhem bastante, não conseguem administrar o seu orçamento e vivem endividadas.

Investimento

Com as contas em dia e o orçamento doméstico organizado, é imprescindível começar a poupar e investir. Existe diversas formas de você fazer isto, mas o importante é sempre ter uma aplicação onde você possa pegar o seu dinheiro no momento que precisar em casos de emergência ou oportunidades. Por exemplo, a mais conhecida é a poupança. tipo de conta ideal para você guardar suas economias e juntar dinheiro para realizar seus projetos. 

Resumo

De fato muitos fatores podem influir na situação financeira das pessoas. A Educação Financeira é o mais importante deles. Certas pessoas planejam seus gastos e procuram aproveitar promoções e boas oportunidades, valorizando o seu dinheiro. Outras não resistem aos impulsos para consumir. CUIDADO!! 

  • Poupar – todos sabem que precisam ter uma reserva, mas muitos não sabem que poupar é prazeroso e leva a uma vida equilibrada.
  • Gastar – capaz de escolher o que é melhor agora, levando em conta o que é importante, exige bom senso e experiência. 
  • Doar tempo, talento e dinheiro – reforçar na educação da nova geração que as ideias de responsabilidade social e ética devem estar sempre presentes na forma de ganhar e gastar dinheiro.

Compreender a importância do hábito de poupar como forma de melhorar a qualidade de vida. Entender o conceito, as características e as modalidades dos investimentos, para que possa escolher a aplicação mais adequada ao seu perfil e às suas necessidades. Entender os riscos financeiros e quais as medidas de prevenção e proteção adequadas para cada situação; Aprender a negociar suas dívidas é fundamental para uma reestruturação financeira.

Compartilhe esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *